sexta-feira, 31 de Julho de 2009

dois em um




Estava a fazer o saco para ir de fim-de-semana e como sempre levamos um ou dois dvds. Quando peguei neste lembrei-me podia fazer um post sobre este filme que adoro essencialmente por duas razões: o argumento e Elizabeth Taylor . Assim resolvo a coisa de uma penada :)

Desde sempre que tenho uma paixão fanática pela Taylor. Não só pela mulher com personalidade de furacão mas sobretudo pela actriz. Acho-a genial, muitas vezes excessiva, mas sempre magnética. E depois é uma mulher de outros tempos que atravessou décadas na cabeça dos espectadores. Há a Elizabeth dos anos 40, dos anos 60, e por aí fora. É o arquétipo da estrela de cinema e é de facto a última grande actriz do star system de hollywwod ainda viva. Tem uma carreira extraordinária, casou 8 vezes, o Michael Jackson era um do seus maiores amigos, é uma apaixonada por jóias com uma colecção de fazer corar um Rajá. Sou fã :)



"Um Lugar ao Sol" é um clássico. Uma história de amor e ambição dirigida um realizador inspirado, George Stevens, fotografada num preto e branco nostálgico. Depois hà o Montgomery Clift, lindo de morrer com o seu ar de torturado, numa interpretação cheia de nuances e muito inspirada e a Shelley Winters, magnífica no seu papel da namorada ingénua. Mais não digo. Vejam que vão gostar. Aqui fica a sugestão.

quarta-feira, 29 de Julho de 2009

nuvens e mais nuvens

Às vezes sou atingido por tanto lado, que nem é preciso por-me a jeito. Levo de um lado e de outro, e já está. Há momentos em que parece que tudo conflui, tudo corre mal...enfim. É que nem vale apena pensar mais nisso. Não sei porque é que há coisas sem importância real, que nos dão cabo de nós. É o "mood" de hoje. Espero que estejam noutra.

segunda-feira, 27 de Julho de 2009

o que é bom acaba-se depresa



Voltando às férias, no segundo fim-de-semana apareceu a P. e o A. um casal nosso amigo mas só lá estiveram sábado e vieram domingo de manhã. Tivémos pouca sorte com a praia, estava imenso vento, mas à noite regalámo-nos com uma bela sardinhada e o A. acabou a noite com um valente pifo. O que vale é que quando ele bebe, fica um santo, abraça e diz que adora toda a gente, enfim, um mimo... ;)
Ainda conseguimos descansar uns dias sózinhos, mas na quarta-feira chegou a minha mãe e a mãe e a prima do R., que ficaram até ao fim das nossas férias. Aqui acabou o descanso porque elas acordam às 8 da manhã e depois não há quem as páre. Querem ir a todo o lado e ver tudo. O bom é que deixámos de ter que ir fazer as compras do dia logo de manhã porque elas encarregavam-se disso e com todo o gosto :). Mas gostamos muito de estar com as mães, cada uma é o seu género mas são divertidas. Como nem eu nem o R. já temos pais, gostamos de as ver a darem-se bem. A minha sogra é impecável e até vai acompanhar a minha mãe, que é mais velha e doente, a algumas consultas mais delicadas.
E os dias passaram rápidamente, com a prima do R. que tem 25 anos e é uma verdadeira "bombshell" sem nada na cabeça a fazer alguns disparates, nomeadamente uma noite desligou o frigorífico porque disse que não conseguia dormir com o barulho que ele fazia...o que lhe valeu foi que nada se estragou senão tinha entrado em despesas, pela certa.
Domingo viémos cedo, pois tinhamos montes de coisas para fazer para além de estarmos preocupados pois só tinhamos uma semana e meia para desmontar integralmente a loja, que é o que temos andado a fazer desde então.

sábado, 25 de Julho de 2009

bons tempos

Hoje foi o enterro da C. Deus a tenha em Paz.

Os funerais são momentos estranhos. Uns não te dizem nada, outros são um vendaval de emoções. A C. pertence a uma época da minha vida fantástica. Conhecêmo-nos no Bairro Alto no fim dos anos oitenta. Aquilo fervilhava e nós também. Éramos novos, queriamos fazer coisas e nunca tinhamos dinheiro. A nossa empatia foi total e passado uns tempos arranjou-me uma cunha para trabalhar com ela num projecto de animação pedagógica nas prisões de menores. Em termos de trabalho foi uma experiência inesquecível. E depois não parávamos. Saímos todas as noites, mais a troupe. Era um grupo de amigos fantástico, sempre em movimento. Às vezes até faziamos espéctaculos para arranjar um "extra money". Foram tempos cheios e muito alegres, solarengos.


Depois afastámo-nos todos. Uns mais do que outros. Hoje revi algumas dessas pessoas, uns amigos, outros conhecidos. Foi tão estranho. Foi como revisitar esse tempo e ver a cruel realidade. Esse tempo, de facto, evaporou-se. Restam memórias e a amizade que aindo sinto por algumas pessoas desse tempo.

Nessa altura, apesar de na época não termos consciência disso. fomos felizes.

quinta-feira, 23 de Julho de 2009

Hoje é um dia muito triste.

A minha amiga C. morreu hoje de manhã. Foi melhor assim, porque estava a sofrer muito. Um cancro nos pulmões com metásteses a chegarem à cabeça e à coluna devorou-a literalmente em poucos meses.
Passámos tantas coisas giras, tantos risos, tantas cumplicidades. Nos últimos anos tinhamo-nos afastado pelas circunstâncias da vida, mas ainda há pouco tempo apareceu na nossa loja a vistitar-me com a filha. E ainda estava bem, penso que nessa altura ainda não sabia de nada.
Tenho muito boas recordações dela, o que torna tudo ainda mais difícil. Esta vida é realmente efémera, uma mera passagem por aqui em rumo ao desconhecido. Não sei porque é que nos chateamos tanto enquanto andamos por cá.
Que a sua alma descanse eternamente em paz.

quarta-feira, 22 de Julho de 2009

o amor é sempre gentil

As nossas férias tiveram três fins-de-semana.

No primeiro veio a nossa sobrinha "adoptada", a I. filha duns amigos nossos. Há dois meses fez dezoito anos e está numa fase gira. Convidámo-la e ela trouxe o namorado. Foi giro porque pela primeira vez que ela passou um fim-de-semana fora, sem os papás e com o namorado. Creio que para ela foi importante e esteve-se sempre bem. Ou quase. Na última noite o namorado decidiu fazer uma cena muito estúpida. Estávamos a tomar café e ele discordou de algo que se estava a dizer. O tema era se os pais deviam ou não ajudar os filhos drogados. Ele era da opinião que não. Não se devia ajudar. Nós pensávamos exactamente o contrário. E depois passou-se mais ou menos dos carretos e começou a falar alto. E o pior foi que a certa altura se virou para ela de olhos esbugalhados e disse:"Queres acabar com isso ou queres que me chateie?". Aí nós intervimos, a coisa acalmou e depois houve drama. Primeiro ele não falava com ela, depois quando já estavamos em casa, a I. desatou a chorar e o R. foi atráz dela para a acalmar. Foi a telenovela total. Mas passado um bocado lá se entenderam e foram dar uma volta para conversar. No dia seguinte, viémo-los trazer a Lisboa, deixámos o namorado primeiro e depois tivémos tempo para conversarmos os três. E dissémos-lhe: I, em todo o caso, não te deixes pisar! O amor tem muitas facetas, mas uma delas não é certamente maltratar a pessoa que amas só porque estás irritado ou coisa do género. Entre amantes, amor é sempre gentil. Consegues reconhecê-lo por isso.
Ela vai entrar agora para a universidade e quer ser juiz conselheira, que é só o posto mais alto. Atenção! :)

terça-feira, 21 de Julho de 2009

a santa vida



As férias são sempre boas, sobretudo no Meco, de dia na praia e à noite a jantar em casa, no nosso pátio, peixe grelhado feito por mim. Aliás lá em casa eu é que trato do fogo. Grelhar é comigo, apesar do meu forte ser o peixe. E os pimentos. Dizem que faço uns pimentos assados fenomenais ;). O R. é especialista em saladas, são as mais frescas e as melhores do mundo. Durante as férias, saudável é a palavra de ordem....sumos disto... sumos daquilo, só peixe grelhado e fruta. E um vinhito branco gelado ao jantar. Com um céu estrelado por cima.

São dias calmos, com a modorra do fim-do-dia de praia a empurrar-nos para um whisky ao fim da tarde, como forma de adiar um duche que não apetece tomar. E depois jantar e ir a um bar da aldeia beber café, conversar, o R. bebe umas caipirinhas, eu nos whiskys, e a seguir vamos para casa porque há sempre um bom filme e chocolates. E nós.

Mas o nosso Meco só é assim durante a semana. Sereno e calmo, com o tempo a escorrer. Quando se aproxima o fim-de-semana a coisa muda de figura, a aldeia vira Torremolinos e chegam as visitas e os amigos. Mas isso são estórias para amanhã.

segunda-feira, 20 de Julho de 2009

vómitos



As férias acabaram e hoje voltámos ao trabalho. Este dia é provavelmente o pior dia do ano, o dia em que só nos apetece vomitar nos corredores, nas salas de reuniões e mesmo em cima dos colegas. É um dia fdp por excelência!!!!!!!!Fuck!

quarta-feira, 1 de Julho de 2009

puff...só queria desaparecer!

esta terça, fechámos a loja. tinha que ser. é muito mais díficil abandonar um projecto que amamos, que construímos, que foi parte da nossa vida do que tinha pensado. e com isso vieram uma catadupa de emoções e de situações práticas que me mantiveram longe daqui. estamos exaustos, vamos de férias duas semanas para para ver se as ideias assentam e se o tempo nos dá distância da clarividência ;). até já.