quinta-feira, 25 de outubro de 2012

The Top 10 Best Opening Lines Of Novels














1. Cat’s Eye, Margaret Atwood, 1998
“Time is not a line but a dimension, like the dimensions of space.”

2. Fahrenheit 451, Ray Bradbury, 1953
“It was a pleasure to burn.”

3. Gone With The Wind, Margaret Mitchell, 1936
“Scarlett O’Hara was not beautiful, but men seldom realized it when caught by her charm as the Tarleton twins were.”

4. The Gunslinger, Stephen King, 1982
“The man in Black fled across the Desert, and the Gunslinger followed.”

5. The Hobbit, J. R. R. Tolkien, 1937
“In a hole in the ground there lived a hobbit.

6. Lolita, Vladimir Nabokov, 1955
“Lolita. Light of my life, fire of my loins. My sin, my soul.”

7. Middlesex, Jeffrey Eugenides, 2002
“I was born twice: first, as a baby girl, on a remarkably smogless Detroit day in January of 1960; and then again, as a teenage boy, in an emergency room near Petoskey, Michigan, in August of 1974.”

8. Peter and Wendy, J. M. Barrie, 1911
“All children, except one, grow up.”

9. Pride and Prejudice, Jane Austen, 1813
“It is a truth universally acknowledged that a single man in possession of a good fortune must be in want of a wife.”

10. Slaughterhouse-Five, Kurt Vonnegut, 1969
“All this happened, more or less.”

by Meredith Borders via LitReactor

22 comentários:

  1. Gosto muito! Mas poria também o início de O GRANDE GATBSY. Deixo aqui em pt:

    "Era eu rapaz, e ainda impressionável, meu pai deu-me um dia um conselho que, desde então, me ficou às voltas na cabeça. Disse ele:
    - Quando te sentires com vontade de criticar alguém, lembra-te disto: nem todos tiveram neste mundo as mesmas vantagens que tu tiveste."

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou começar a ler esse livro.

      Eu escolheria 'O Amante' da Marguerite Duras:
      «Très tôt dans ma vie, il était trop tard."

      :)

      Eliminar
  2. Voto na 6.
    e na do Johnny
    e na do Arrakis (O Amante)...
    :D

    ResponderEliminar
  3. li os 2, 5, 8 e 9.
    estou em pulgas para ver o hobbit, mas nada supera os livros de tolkien.
    e sugiro: 'Era inevitável: o cheiro das amêndoas amargas recordava-lhe sempre o destino dos amores contrariados.' - GG Márquez, O amor nos tempos de cólera.
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei esse livro, já não me lembrava da frase :)

      Bjs.

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Digo-te o mesmo que ao João, não acrescentas uma que te tenha marcado?

      Eliminar
  5. acrescento uma, porque é das minhas preferidas e porque a sei de cor desde que tinha 16 ou 17 anos:

    "A casa que os Maias vieram habitar em Lisboa, no Outono de 1875, era conhecida na vizinhança da Rua de S. Francisco de Paula, e em todo o bairro das Janelas Verdes, pela Casa do Ramalhete, ou simplesmente o Ramalhete."

    e tem a vantagem de nem ser preciso identificar o livro e o autor :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Proust? Wilde? Melville? James? Forster? Isherwood?... desisto! ;D

      Eliminar
    2. Miguel,
      também adoro Eça e 'Os Maias' é um de que gosto especialmente. Grande livro!

      João,
      podia ser qualquer um...:)

      Eliminar
  6. A 10. será, provavelmente, a que todos nós diremos, um dia mais tarde, após contarmos a história da nossa vida :-)

    Assim na brincadeira, lembrei-me deste excerto:
    Ifyou are interested in stories with happy endings, you would be better off reading some other book. In
    this book, not only is there no happy ending, there is no happy beginning and very few happy things in the
    middle. This is because not very many happy things happened in the lives of the three Baudelaire
    youngsters. Violet, Klaus, and Sunny Baudelaire were intelligent children, and they were charming, and
    resourceful, and had pleasant facial features, but they were extremely unlucky, and most everything that
    happened to them was rife with misfortune, misery, and despair. I’m sorry to tell you this, but that is how
    the story goes.


    Um desafio interessante seria cada um partilhar o excerto que mais gostámos do livro que menos prazer nos deu :-P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daniel Handler, 'Lemony Snicket' verdade?
      Não li, mas vi o filme e lembro-me dos personagens. Memorizei-os por causa do Baudelaire por associação ao poeta...
      Muito interessante a abertura, em todos os sentidos.
      Seria sem dúvida um desafio interessante, o pior é que quando não gosto dos livros acabo por abandoná-los e como tal seria difícil escolher um excerto lol XD

      Eliminar